Read in English below

Qual é a melhor forma para a nossa ação?

O tempo é medida da mudança e ao longo dele nosso propósito e serviço podem tomar muitas formas. Diferentes expressões da mesma essência. O importante é que essa forma ajude a catalizar os processos que devem acontecer neste momento, dentro e fora. Encontrando a melhor forma da ação para o novo ano astrológico que começa: Torus Lab do Tempo a partir de agora é Lab do Tempo. Uma maneira de simplificar que o que fazemos é experimentar outras temporalidades. Ajudar a construir os horizontes da próxima era enquanto apontamos as urgências da próxima hora por meio de uma abordagem decolonial.

Um experimento que se iniciou em 2013 com as minhas primeiras aulas e projetos de pesquisa sobre o espírito do tempo, ganhou força a partir de 2015 com meu primeiro tour pelo Brasil ensinando sobre como navegar por mudanças maiores que o mercado de comunicação, nasceu como estrutura independente em 2017 quando, em um dia Fora do Tempo, oficializei “a Torus” para trabalhar em parceria com outras empresas e que em 2019 rebatizamos como Torus Lab do Tempo (ou Torus Time Lab, no contexto Europeu).

Torus continuará sendo um artefato essencial para o trabalho de descentrar a relação das pessoas com o tempo. Assim como o Tzolk’in e tantos outros dispositivos que questionam o tempo linear e nos convidam ao tempo espiral.  Mas, nessa minha jornada de 2022 pelo Brasil e interagindo com tantos públicos que não estão somente nas empresas e em universidades, mas em cidades que estão no coração do Brasil profundo, compreendo que é importante simplificar a forma e o discurso para que essa conexão com o tempo possa gerar energia para o máximo de pessoas possívels. Afinal, tudo é temporal.

Boas vindas ao Lab do Tempo, viajantes. Agradeço a cada um pelas trocas que possibilitam que novos passos sejam dados. Em breve vou te convidar para os nossos próximos experimentos temporais acontecendo online e presencialmente.


Leia em português acima

What is the best form for our action?

Time is the measure of change and over time our purpose and service can take many forms. Different expressions of the same essence. The important thing is that this form helps to catalyze the processes that must happen at this moment, inside and outside. Finding the best form of action for the new astrological year that begins, our Torus Time Lab from now on is Temporality Lab. In Brazil, we say just Lab do Tempo (Time Lab). One way to simplify what we do: to experiment with other temporalities. Helping to build the horizons of the next era while addressing the urgencies of the next hour through a decolonial approach.

An experiment that began in 2013 with my first classes and research projects on the spirit of the times, gained strength from 2015 onwards with my first tour throughout the continental territory of Brazil, teaching about how to navigate changes greater than the communication market. That was born as an independent structure in 2017 when, on a Day Out of Time, I made “Torus” official to start to work in partnership with other companies. And that in 2019 we rebranded to Torus Lab do Tempo (or Torus Time Lab, in the European context).

Torus will continue to be an essential artifact for our work of decentering people's relationships with time. Just like the Tzolk'in and so many other devices that question linear time and invite us to spiral time. But, in my 2022 journey through Brazil again, interacting with so many audiences that are not only in companies and universities but in cities that are in the heart of deep cultures around, I understand that it is important to simplify the form and the speech so that this connection with time can generate energy to as many people as possible. After all, everything is temporal.

So welcome to Temporality Lab, travelers. I thank each one for the exchanges that allow new steps to be taken. Soon I'll invite you to our next temporal experiments happening online and IRL.